quinta-feira, 12 de outubro de 2017

15 de Outubro dia dos Professores.

     Parabéns a todos os professores do Brasil que são guerreiros em suas lutas diárias que mesmo com inúmeras dificuldades doam o melhor de si em prol de uma educação de qualidade, gostaria de parabenizar em especial os professores das Escola Esmerino Arruda Filho(Martinópole) e Domingos Alves Pereira(Paracuá) que são grandes profissionais em busca do desenvolvimento educacional de seus alunos a eles meu "respeito e admiração" que sigamos juntos construindo essa história de sucesso.

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Você é o que você pensa.

  Não é difícil de encontrar nas nossas vivências pessoas amarguradas que vivem reclamando da vida e puxando o tapete das outras, que têm uma vida de amargura, esse tipo de pessoa não consegue ver a beleza da vida e vivem pedindo o mal para os outros, muitas das vezes podemos fazer a seguinte reflexão: o que leva as pessoas a terem esse tipo de pensamento? Muitos do que pensamos e desejamos acaba acontecendo de forma direta ou indireta em nossas vidas, ou seja se alimentamos pensamentos positivos, se desejamos o bem pra nós e pros outros isso acaba por se repetir de forma positiva em nossas vidas, mas se fazemos o contrário devemos está dispostos a assumir as consequências sem reclamar da vida.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Quebra de paradigmas?

 Vejo com muita tristeza que pessoas que se dizem esclarecidas defendendo alguns políticos marqueteiros que se aproveitam das conveniências para enganar e ludibriar o povo vejam só, falam de quebra de paradigmas, mas o que é um paradigma? Segundo o que pesquisei paradigma é um modelo que sempre é seguido ou seja é o convencional, então quebrar um paradigma é fugir do convencional, é fazer diferente. O que um certo político da região anda propagando é totalmente o contrário de quebra de paradigma, porque primeiro: pertence a uma oligarquia política que está a quase 50 anos no poder, segundo porque ele utiliza o que há de mais convencional na política então podemos afirmar que ele nada mais é do que uma farsa e os que defendem ele e propaga suas ideias infelizmente ou estão sendo enganados ou são analfabetos políticos.

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

O que vale a pena

        Na atual conjuntura social em que vivemos nos deparamos com situações que inevitavelmente nos faz refletir o tipo de ser humano que estamos sendo e o que realmente faz a diferença em nossas vidas, será que estamos vivendo plenamente todos nossos sonhos, respeitando as pessoas, dando o devido respeito e atenção aos que estão sempre ao nosso lado ou estamos na contramão disso tudo trilhando caminhos que não nos levará a lugar algum. Num mundo cada vez mais competitivo e carente de bondade se sobressaem  aqueles que tem em sua essência caráter e respeito as pessoas por que tudo nesse mundo é passageiro e que o realmente importa é o que representamos pra nós mesmos e para as pessoas que amamos. 

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Ser PROFESSOR!

             Todo dia é dia de refletir sobre a profissão só nós que estamos no dia-a-dia em sala de aula sabemos o tamanho da responsabilidade que nos é dada diariamente. Ser professor na atual conjuntura social e política é mais do que desafiador é um ato de coragem por isso é sempre bom refletir a cerca das seguintes questões: Onde estamos atualmente? Onde pretendemos chegar? E como?
Não é segredo pra ninguém que os governantes do nosso país não dão a devida valorização aos professores somos profissionais a serviço de um sistema educacional falido que não funciona mais é preciso inovar é preciso trilhar novos caminhos mas quando levantamos estas questões o que ouvimos é que a diferença deve ser feita por nós em sala de aula, muitas das vezes temos até vontade e disposição para fazer a diferença mas questões muitos maiores que nossa força de vontade nos impede.
                A diferença deve começar pela valorização da profissão, que o professor  tenha um pouco de dignidade, pois não é possível fazer a diferença em um ambiente de trabalho que não oferece as minimas condições, não é possível fazer a diferença quando o professor tem que trabalhar 300 horas para aumentar sua renda familiar e dar um pouco de conforto pra sua família, não é possível fazer a diferença seguindo um modelo educacional onde o professor é apenas orientado a fazer algo não tendo sua autonomia didática, se formos listarmos o que impede o professor de realmente fazer a diferença em sala de aula com certeza a lista será extensa, mas o mais importante devemos sempre fazer que é refletir sobre nosso papel na sociedade somos formadores de opinião e atores de muitas histórias que podem serem construídas ao longos dos tempos.

Seres humanos ou Desumanos?

        A realidade vivenciada por nós na atualidade muitas das vezes nos obriga a fazermos algumas observações relacionadas ao comportamento de alguns seres humanos ou seria seres desumanos? Quem tem um estilo observador que é o meu caso pode ver como o ser humano pode assumir diferentes papeis dentro de diferentes contextos, nós nem sempre estamos dispostos a reconhecer nossos erros mas somos os primeiros a apontar o dos outros, falamos dos outros mas não gostamos que falem de nós,  alguns querem sempre mais pra si e menos pro outros e pasmem, muitos ver na infelicidade dos outros sua felicidade, muitas vezes estamos mais preocupados com questões irrelevantes do que com o que realmente importa, muitos se justificam há! somos seres humanos estamos sujeitos ao erro, em partes concordo com essa afirmativa, mas até quando vamos nos dar essa desculpa para fazermos um monte de bobagens? Até quando seremos esses seres humanos fazendo coisas desumanas?

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

A era das redes sociais

     Vivenciamos atualmente a era das redes sociais, as pessoas estão cada vez mais conectados no mundo virtual e desconectados do mundo real é impressionante como algumas pessoas não conseguem se desgrudar do celular ou de qualquer outro dispositivo que permita a comunicação virtual. Essa nova era tem despertado nas pessoas comportamentos, creio eu, até então internalizados é de causar risos as atitudes de algumas pessoas nas redes sociais, pra se ter uma ideia sendo um pouco observador já é possível traçar o perfil de alguns usuários das redes sociais, por exemplo consegui selecionar os seguintes perfis: O primeiro é a aquela pessoa super popular nas redes sociais está sempre postando, emitindo opinião, nas fotos são só sorrisos, tem inúmeros "amigos virtuais", mas no mundo real simplesmente não dar um bom dia, amigos são raros e não tem opinião formada sobre nada. Temos o perfil cada momento uma foto esse é aquela pessoa que registra quase toda sua vida, seja ela intima ou profissional e posta nas redes, este perfil costuma postar fotos com as seguintes legendas: Chegando ao trabalho e  ainda coloca #meu trabalho # minha vida, reunião com o patrão, ou ainda no meu doce lar com minha amada esposa. Também temos o perfil amizade a vista são aquelas pessoas que vivem  declarando suas amizades na rede, parece que na cabeça desse tipo de pessoa soa pensamentos do tipo: É preciso que as pessoas vejam que eu sou amigo de fulano. Por fim temos o perfil desabafo esse é aquela pessoa que diante de uma situação de conflito seja ele pessoal ou profissional chega na rede e joga tudo no ventilador fala tudo nos mínimos detalhes e finaliza com essa frase épica "pronto falei". Tem outros perfis que ainda estou selecionando, mas o que tenho observado é que as redes sociais tem tornado as pessoas cada vez mais próximas virtualmente e distantes pessoalmente, também tem criado na minha opinião uma legião de idiotas, por exemplo não mim interessa sua opinião sobre política, futebol ou religião guarde-a pra você, eu não quero saber se você chegou ao trabalho, se está em reunião com o chefe ou se está em casa com sua mulher esses momentos fazem parte de sua vida profissional e pessoal não mim interessa saber, assim como também não quero saber se você é amigo de João, do Pedro ou do José suas amizades só desrespeita a você. Concluindo gente! Vivam mais o mundo real.
Autor: Vagner Soares